Segunda-feira 19/11/2018

Fundos de Tela

» Download

| printImprimir | Email E-mail | Share

Família de Santa Teresinha

Rosas.jpg“Não diria somente que a família é importante para a evangelização do novo mundo. A família é importante, é necessária para a sobrevivência da humanidade. Se não existe a família, a sobrevivência cultural da humanidade corre perigo. É a base, nos apeteça ou não: a família”.

Com estas palavras o Papa Francisco descreveu a importância da família, em uma declaração durante a Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro (Entrevista à Rádio da Arquidiocese do Rio de Janeiro, 27/07/2013).

Sim, a família “é necessária para a sobrevivência da humanidade”! Porém, há quem diga que o casamento está “fora de moda”...

Em outra oportunidade, falando aos voluntários da JMJ o Papa Francisco convidou os jovens a se rebelarem contra a “cultura do provisório” e atenderem o chamado que Deus faz a cada um:

“Alguns são chamados a se santificar constituindo uma família através do sacramento do Matrimônio. Há quem diga que hoje o casamento está ‘fora de moda’. Está fora de moda? [‘Não’, responderam os jovens]. Na cultura do provisório, do relativo, muitos pregam que o importante é ‘curtir’ o momento, que não vale a pena comprometer-se por toda a vida. (...) Eu tenho confiança em vocês, jovens, e rezo por vocês. Tenham a coragem de ‘ir contra a corrente’. E tenham também a coragem de ser felizes!” (Encontro com os voluntários da JMJ, 28/07/2013).

Compenetrada da importância da família para a humanidade e para o Brasil, editamos um livrinho com a história da família de Santa Teresinha do Menino Jesus.

Seguindo o famoso ditado popular – “as palavras convencem, mas os exemplos arrastam” – estamos contando a história de uma família francesa de classe média, que se santificou na vida cotidiana, enfrentando dificuldades e muitas doenças.

Esperamos que o exemplo desta santa família inspire muitos lares também no Brasil.

“O bom Deus me deu um pai e uma mãe mais dignos do Céu do que da terra
”. Esta afirmação, que já nos pareceria tão bela nos lábios de qualquer filho, ganha um brilho todo particular ao sabermos ter sido proferida por Santa Teresinha do Menino Jesus, ela mesma uma joia rara lapidada pelas mãos do Senhor, mais digna do Céu do que da terra.

Nascida no seio de uma família modelada pela prática das virtudes cristãs, a própria santa não deixa de ressaltar, ao longo de seus escritos autobiográficos, a inestimável graça que foi para ela ter pertencido àquele lar tão abençoado.

“A Flor que vai contar a sua história, alegra-se em poder apregoar as delicadezas absolutamente gratuitas de Jesus. Foi Ele que a fez nascer numa terra santa e toda impregnada de um perfume virginal. Ele fez com que a precedessem oito lírios resplandecentes de brancura” – escreveu Santa Teresinha no início da “História de uma alma”, referindo-se ao ambiente familiar em que veio ao mundo.

Uma terra santa. Assim deve ser toda família constituída sob as bênçãos da Igreja e orientada pelas virtudes cristãs.

Pais de Santa Teresinha.jpg


No dia 19 de outubro de 2008, o Papa Bento XVI beatificou pais de Santa Teresinha do Menino Jesus, o casal Luís e Zélia Martin.

Porém, devemos considerar que eles não foram beatificados por serem pais de Santa Teresinha do Menino Jesus, mas por terem sido, eles mesmos, exemplos de perfeição cristã para os homens. Eles não se santificaram na vida conventual dos monges e freiras, mas na vida cotidiana da família católica que constituíram, procurando imitar em tudo a Sagrada Família de Nazaré.

Por isso, afirma o Cardeal Saraiva Martins, Luís e Zélia são um dom para os esposos de todas as idades, pela estima, o respeito e a harmonia com que se amaram durante 19 anos. Viveram as promessas do matrimônio, a fidelidade do compromisso, a indissolubilidade do vínculo, a fecundidade do amor, tanto nas alegrias como nas tristezas, na saúde como na doença.

Luís e Zélia são um dom para os pais. Ministros do amor e da vida, engendraram numerosos filhos para o Senhor.

Luís e Zélia são um dom para todos os que perderam um cônjuge. A viuvez é sempre uma situação difícil de aceitar. Luís viveu a perda de sua esposa com fé e generosidade, preferindo o bem de suas filhas às suas satisfações pessoais.

Finalmente, Luís e Zélia são um dom para os que enfrentam a enfermidade e a morte. Zélia morreu de câncer. Luís terminou sua existência atacado por uma arteriosclerose cerebral. Neste mundo que se preocupa em ocultar a morte, eles nos ensinam a encará-la de frente, abandonando-nos à misericordiosa solicitude de Deus. (Cf. Cardeal Saraiva Martins, Homilia em Lisieux, 19/10/2008).

O reconhecimento da santidade de Luís e Zélia lança uma luz toda especial sobre o valor do matrimônio concebido e vivido sob a luz das virtudes cristãs, bem como sobre o papel fundamental da família que se espelha nos exemplos perenes da Sagrada Família de Nazaré.

De fato, o casal Martin soube cumprir na perfeição o chamado de Deus para a vocação familiar, e constituiu sua Igreja doméstica em tudo conforme ao ideal de um lar católico proposto pela Igreja.

Por esta razão a Associação Maria Regina Cordium editou essa breve história da família Martin. Ela foi uma imitadora fiel do bendito lar de Nazaré e se tornou modelo para todos os pais e filhos cristãos chamados à santidade e a desempenharem seu imprescindível papel na Igreja e no mundo.

Tenho a certeza de que o exemplo da família de Santa Teresinha ajudará todas as famílias brasileiras a serem verdadeiramente cristãs.

Receba você também o opúsculo com a história da família Martin, faça o pedido pelo nosso e-mail:

[email protected]

Ou converse com um dos nossos atendentes pelo telefone:

(11) 2959-2633

Associação Maria Regina Cordium
ASSOCIAÇÃO MARIA REGINA CORDIUM
CNPJ: 02.796.785/0001-86
Rua Antonio Pereira de Souza, 194 sala 23 cep 02404-060 Santana, SP São Paulo tel: 2959-2633